quarta-feira, 22 de agosto de 2007

Sandryk Biton



O juiz do jogo Brasil x Argélia foi Sandryk Biton. Arbitragem algo confusa, Biton não deu um pênalti para a Argélia (em lance que o atacante argelino estava impedido), inverteu uns lances e não marcou algumas faltas, o que sempre considero uma diferença dos juízes brasileiros em relação a outros árbitros.

Desde o início do jogo, o comentarista de arbitragem da TV Globo criticou o juiz, dizendo que ele não apitava nem segunda divisão da França. O narrador, chamando o juiz de Sandrine Billon (ou "Monsieur Billon", como ele disse o jogo todo) não cansou de criticá-lo, chegando ao cúmulo de querer saber "quem escala esses caras para jogo do Brasil", esquecendo-se que um Brasil x Argélia jogado em Montpellier é como um Corinthians x Rio Negro jogado em Aracaju e que, por isso, não precisa ser um Michel Vautrot para apitar.

Pois fui pesquisar quem era esse tal de Sandrine Billon. Claro que não achei, porque não existe um juiz com esse nome. Existe uma Sandrine Billon, e ela é chefe do Departamento de Hematologia do Hospital Morvan, em Brest, noroeste da França e não deve torcer pelo
Stade Brestois.

Acabei por achar nosso prezado árbitro. Sandryk Biton, nascido em Montpellier (cidade que sediou o jogo, motivo dele ter sido escolhido, imagino), nessa temporada 2007/08, começada há 4 semanas, apitou a final da Supercopa Francesa, em julho, há menos de 1 mês, entre Lyon e Sochaux (jogo transmitido pelo Sportv, onde os dois cronistas têm um programa ruim, mas de audiência).


Monsieur Bitton
a
pitou apenas 2 jogos da segunda divisão esse ano, inclusive um sexta passada: Amiens 1 x 2 Grenoble. E na temporada passada, apitou 8 jogos da segunda divisão e 17 da primeira divisão. Ou seja, não é o principal juiz da França. Mas está muito longe de ser um juiz de várzea. É só pesquisar.


5 comentários:

Dassler Marques disse...

Mais desastrosa que a arbitragem, só mesmo a transmissão.

O lobby por Ronaldinho/Kaká, de quem só deveria narrar o jogo, foi irritante e parcial. Premissas básicas do bom jornalismo, coisa que falta esportivamente ao principal canal de tv do Brasil.

André Rocha disse...

Haha Boa, Bindi! Sempre atento!

Sobre o que o Dassler disse, realmente impressiona o modo "papagaio de pirata" que a Globo trabalha. Quer sempre estar do lado mais "forte". Quando os dois craques não quiseram jogar a Copa América, pau neles! Afinal, os índices de audiência poderiam despencar. Agora que Dunga convocou e os colocou no banco, gerando a mesma queda no Ibope, pau no Dunga! Realmente lamentável...

Mozart disse...

Sensacional, Bindão!
Só penso que a arbitragem foi boa. O impedimento não foi e a suposta penalidade do Doni tb não. No Love foi lance duvidoso. De resto normal.

Sérgio disse...

arbitragem não comprometeu não...

DOMINGOS TORRES disse...

Meu caro, no site da CBF (www.cbfnews.com/selecao) até mesmo a escalação da Argélia estava exatamente como deve ser e antes mesmo do jogo começar (fomos os únicos a publicar corretamente, o que alias é nossa obrigação. Gostaria que ficasse o registro, pois quem cuida da memória da CBF é o Antônio Carlos Napoleão e eu sou o responsável pela tecnologia por trás dos dados corretos.

Abs do sempre amigo e atento internauta, Domingos Torres (Xgol.Net)

Veja:

BRASIL 2 X 0 ARGÉLIA (AMISTOSO)
DATA: 22/08/2007 - 13:30
LOCAL: Stade La Monsson, Montpellier (França)
ÁRBITRO: Sandryk Byton (França).
GOLS: Maicon aos 62' e RonaldinhO Gaúcho aos 81'.
CARTÕES:
ESCALAÇÃO:

BRASIL: Doni (Roma-ITA) depois Julio Cesar (Internazionale-ITA) aos 46'; Maicon (Internazionale-ITA) depois Daniel Alves (Sevilla-ESP) aos 68', Alex Silva (São Paulo-SP), Naldo (Werder Bremen-ALE) e Kleber (Santos-SP); Josué (São Paulo-SP) depois Fernando (Bordeaux-FRA) aos 46', Mineiro (Herta Berlim-ALE) depois Lucas (Liverpool-ING) aos 64', Elano (Shakhtar Donetsk-UCR) depois Kaká (Milan-ITA) aos 46' e Júlio Baptista (Real Madrid-ESP) depois Ronaldinho Gaúcho (Barcelona-ESP) aos 46'; Robinho (Real Madrid-ESP) depois Diego (Werder Bremen-ALE) aos 70' e Vágner Love (CSKA-RUS).

Técnico: Carlos Caetano Bledorn Verri - Dunga.

ARGÉLIA: Gaouaoui Lounés, Smaïl Bouzid, Hosni Larbi (Amri aos 66'), Yahia Antar (Yacine Bezzaz aos 66') e Bouguerra Madjid; Zarabi Abderaouf, Mansouri Yazid, Belhadj Nadir, Ziani Karim (Hadj Aissa aos 86'); e Matmour Karim (Ghiles Kamel aos 76') e Saifi Raifik.

Técnico: Jean-Michel Cavalli.