quinta-feira, 20 de setembro de 2007

São Marcos e a tempestade

Agora que Marcos vai voltar ao Palmeiras, no banco contra o Corinthians nesse domingo, relembro texto que escrevi um dia depois dele se machucar contra o Juventus. Esse blogue ainda nem existia...

Um trecho de um poema de autor gaúcho, diz: "e num dia de tempestade, para quem eu vou correr?".

Nas duas maiores tempestades que o Palmeiras viveu (semifinal da Libertadores de 2000 e Segundona de 2002), os palmeirenses sabiam e
souberam para quem podiam correr.

Marcos, nome no necessário e justo plural, aquele que chora quando o Palmeiras perde. Marcos, aquele que age no campo como se estivesse na
arquibancada.

Marcos, que levou Tuchês, Alexandres, Galeanos e Guerreiros nas costas, ombros e braços.

Marcos, que levou palestrinos nas costas, ombros e braços.

Os braços de Marcão são os braços dos palmeirenses, esticados para alcançar um amor que só o palestrino explica.

Esse braço que um dia carregou a bandeira do Brasil campeão do mundo.

Que nessa tempestade, Marcos saiba para quem correr.

Nós, palestrinos, corinthianos, jornalistas, geógrafos, aprendizes de goleiro e aprendizes de gente.

Nós estaremos aqui, Marcão.

Essa tempestade passará.

Sempre passa.

Passou, Marcão.

Esitvemos sempre aqui.

Sorte agora.

7 comentários:

Jefferson Nogueira é disse...

A FASE DE CAVALIERI É SENSACIONAL, MAS MITOS, COMO GOLEIRO MARCOS, JAMAIS DEVEM SENTAR AO BANCO ENQUANTO AS CORTINAS NÃO SE FECHAREM...TORÇO MUITO POR ELE....ABRAÇO

Michel disse...

São Marcos a tempestade... e o Manchester United!!!

Alexandre Giesbrecht disse...

Carregando tanta gente nas costas, ombros e braços, não é de se admirar tantas contusões. Não fossem elas, não seria de se espantar se muitos considerassem o Marcos o maior goleiro da história do nosso futebol.

Willian Kury disse...

Concerteza Bindi.

E ainda acho que o Marcão merece uma seqüência na titularidade para ele poder mostrar as reais condições dele.

O Diego é muito bom, mas o Marcos, além de ser bom, tem a história no clube. História como Rogério tem no São Paulo, como Marcelinho teve no Corinthians.

Excelente seu texto. Excepcional.

Abraços meu amigo. Farei o possível para ir no lançamento do seu livro. Caso não vá, o comprarei mesmo assim.

Rodrigo Ferraz disse...

Ccaro Bindi,
Estou passando pois sempre acesso teu site. Muito bom teu trabalho!
Parabens pelo site ,blo e livro. Sucesso!
Ah! quando tiver um tempo livre visite meu blog http://rodrigoferraz.blog.terra.com.br e minha coluna "Análise R.Ferraz" no site www.craquesdojornalismo.com.br
Grande abraco,
R.Ferraz

André Rocha disse...

Grande Marcos! E Grande Bindi!

Maurício Vargas disse...

Marcão é exemplo de tudo de bom que existe no mundo do esporte. Até por isso, acho que ele deveria fazer mais algumas partidas e encerrar a carreira, para terminar no topo, como dizer.

abraços!