quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Nem os blogs escapam do merchandising

Blogs foram criados como páginas de fácil atualização e possibilidade de interatividade com o leitor por meio de comentários. A ferramenta democratizou ainda mais a internet ao facilitar a participação de pessoas sem familiaridade com códigos e expressões mais comuns aos amantes de informática. Por isso, os blogs ganharam muito espaço, sobretudo com páginas pessoais, em que o autor publica opiniões, descobertas ou relatos de seu dia-a-dia.


No meio do jornalismo (e aí se inclui o jornalismo esportivo, óbvio), os blogs acabaram se espalhando. Aí, a idéia é o autor da página mostrar seu trabalho com ensaios, artigos, reportagens e opiniões que possam, de alguma forma, acrescentar algo ao noticiário tradicional de jornais, revistas, TVs, rádios e portais de internet. A informalidade é uma marca desse novo tipo de veículo, o que faz o leitor se sentir próximo do jornalista, que empresta toda sua credibilidade àquele espaço, pois não deixa de ser uma página pessoal.


Preâmbulo feito, vamos ao que interessa. Os blogs podem ter poucos acessos e page views, mas seus leitores levam muito a sério o conteúdo. Toda essa relação de confiança entre dono do espaço e leitor abriu os olhos do mercado publicitário. E assim surgiu... o merchandising de blog, o post “publicitário”.

Ainda é uma modalidade incipiente e muitos leitores nem sabem que eles existem. Mas já estão por aí. “Balípodo” e “Futebol É uma Caixinha de Surpresas”, páginas jornalísticas pessoais dos autores deste texto que você está lendo, já receberam propostas. A idéia é publicar um texto, como se fosse mais um do blog, recomendando (subliminarmente ou não) o consumo de um determinado produto ou serviço.


Avaliando outros blogs (indicados pelas próprias empresas que ofereceram o merchandising), foi possível ver exemplos concretos. Há casos em que o autor, apesar de emprestar seu estilo ao texto publicitário, tem o cuidado de informar seu leitor que se trata de um espaço patrocinado. Outros não tiveram esse cuidado e seu leitor acaba sendo alvo de um anúncio sem saber. E ainda acha que é opinião do dono do blog, o que para os autores desse texto, é pior do que qualquer inserção comercial.


Bem, as propostas não foram (e jamais serão) aceitas por “Futebol É uma Caixinha de Surpresas” e “Balípodo”. Só fica o alerta para os leitores, que devem ficar atentos até aos blogs. Nem sempre podem ser considerados páginas tão pessoais (ou tão independentes) assim.


O mundo já foi mais ingênuo e despreocupado. E muito mais divertido.


Luiz Fernando Bindi e Ubiratan Leal


*esse post pode ser lido e comentado no “Futebol É uma Caixinha de Surpresas” e no “Balípodo”


5 comentários:

Braitner Moreira disse...

Até mesmo a blogosfera já é uma caixinha de surpresas. Diria até que demorou a alcançar a área esportiva, alguns mais "gerais" usam disso há um tempo razoável... menos mal se indicam ao menos quem tá pagando pelo espaço, só não me lembro de algum caso assim.

Rodrigo Jesus da Silva disse...

Parabéns pelo posicionamento, Bindi e Ubiratan.

Alexandre Bisson disse...

Boa Tarde Bindi e Ubiratan

Venho atrvés deste espaço, parabenizar á vocês dois, pela atitude e diria coragem, de não permitir que este nosso cantinho esportivo que são os blogs de vocês, sejam invadidos, por estes raça de marqueteiros que só pensam em se aproveitar de espaços para "empurrar" suas "coisas".

Continuem assim, com esta isenção e muito sucesso.

deborahliX disse...

Publicidade é pior que praga. Lá onde a gente menos espera, ela está. Pobre cérebro nosso, tão bombardeado...

Excelente o assunto, Bindi. Ficarei mais antenada.
Grata.

Abraço

Expedito Paz disse...

Já vi casos do tipo em vários blogs, mas não tinha visto ainda em blogs de futebol...