domingo, 4 de maio de 2008

Una Furtiva Lacrima

De repente, depois de muito tempo de luta, fui convidado para ser comentarista de rádio, um sonho de infância. Quando recebi a escala do meu jogo de estréia, era Palmeiras x Náutico. Todos me falaram: "se segura, hein", "não vai bajular o Palmeiras", "não critica muito pra parecer imparcial", enfim. Eram muitos os alertas.

Quando entrei no Palestra Itália por alamedas em respirei quase 30 anos da minha vida, me senti em casa. Lembranças da minha avó Wally, do meu tio Hernâni, dos meus pais. Nesse estádio, vi vitórias gloriosas como a Libertadores de 99 e o Paulista de 96. Vi tragédias italianas, como a derrota para o XV de Jaú em 85 e para o Vasco na Mercosul.

Subi os 4 andares até a cabine da rádio a pé. Entrei, coloquei os fones. E esqueci para que time eu torci um dia. E assim tem sido, de uma forma deliciosamente fácil. Já fiz vários jogos do Palmeiras e tratei o time de Palestra Itália da mesma forma que tratei os outros times. Nem mais, nem menos.

Hoje, fiz Palmeiras 5 x 0 Ponte Preta, minha primeira final. Não senti simplesmente nada, como torcedor. Nada. Estive tranqüilo durante toda a partida. Felizmente, para mim, sou mais jornalista que palmeirense. Amo mais o futebol que o Palmeiras. Como diz meu mestre e amigo (não necessariamente nessa ordem) Mauro Beting, sou um palmeirense jornalista, não um jornalista palmeirense.

De repente, lá pelo fim do jogo, o técnico Wanderley Luxemburgo chama o goleiro Diego Cavalieri, reserva de Marcos. E substitui aquele que considero o melhor goleiro do Brasil em atividade por aquele que considero o futuro melhor goleiro do Brasil.

Quando vi Marcão saindo de campo, em respeito aos ouvintes, afastei o fone do ouvido.

E chorei.

13 comentários:

Felipe disse...

Todos nos Choramos Bindi

ass Presunto

Arthur Virgílio disse...

Marcão mereceu a homenagem. Quano o profissional de qualidade está no serviço não deixa transparecer sua paixão e você deu uma prova disto

Alexandre Anibal disse...

Simples e emocionante, da primeira à última linha.

[ ]´s

PIG disse...

Emocionante

Blog do Menon disse...

ele merece. vc também. um abraço

Menon

ARISTEU disse...

OLA AMIGO !!


NÃO HA CRIME ALGUM EM SER JORNALISTA PALMERENSE !!
DESDE QUE A NOTICIA SEJA SERIA E VERDADEIRA !!
E OS COMENTARIOS SEJAM TRANSPARENTES MESMO PARA UMA VISÃO UM POUCO MAIS VERDE OU ALVINEGRA !!!
O CORRETO É SER VERDADEIRO !!!
O QUE NÃO GOSTO NÉ DE JORNALISTAS QUE ESCONDEM SUA PAIXÃO !! POIS TODOS TEMOS UMA !!

SAUDAÇÕES CORINTHIANAS

ARISTEU KODAMA

Geniba disse...

Eu chorei quando o Palmeiras perdeu a Copa do Brasil em 96.

Chorei de alegria!!!!!!!!!!!!!

Foi até mais gostoso porque a festa já estava pronta, todos dando o título como ganho, com goleada anunciada e o Cruzeirão foi lá e papou.

Arthur Virgílio disse...

Bindi sei que você já postou no seu blog denúncias referentes ao também blog Kibe loco, que utilizaria de plágio para realizar suas postagens "engraçadinhas".

O episódio Ronaldo vem sendo abordado por eles com frequencia. Acontece que no dia 1° de maio, curiosamente dia do trabalho, fiz um post sobre o acontecido com o fenômeno e coloquei também um vídeo, onde o sueco Ibrahimovic mira Ronaldo com um olhar de entusiasmos.

Ao entrar no blog do Kibe Loco fico surpreso ao encontrar o mesmo vídeo, seis dias após eu ter postado. Não tinha visto esse vídeo em nenhum site. Acho no mínimo suspeita essa postagem do kibe loco, vamos tudo bem...

Raul Martins Dias disse...

Mestre Bindi, como sempre brilhante. Parabéns!!!

DJ Aldebaran disse...

Grande Bindi!!

Por ocasião do meu aniversário, ganhei o teu livro de presente da minha noiva.

Tem histórias sensacionais ali. Mas notei um errinho em uma delas: numa que fala de um jogo do GREMIO, onde ele conta que a preliminar foi mais importante do que a partida de fundo, num jogo GREMIO X Flamengo pelo Brasileiro de 2006, quando havia um jogo pela Copa FGF marcado pra DEPOIS do contra o rubro-negro carioca no mesmo dia, a data correta é 26 de novembro de 2006 e não 27 de novembro. Lembro bem, pois o jogo marcou a conquista matemática da vaga pra Libertadores exatamente um ano após a Batalha dos Aflitos. E eu fiquei lá na "posliminar" (se é que existe este termo) e conferi também GREMIO B X Guarany de Bagé.

Está na página 96 do livro esta história.

Um abraço tricolor dos pampas,

Leonel Knijnik (DJ Aldebaran)
Porto Alegre/RS

Eduardo Fernandes disse...

Grande Bindi,

Parabéns pelo ótimo post, bem escrito e emocionante. Sou um corinthiano apaixonado pelo clube alvinegro, mas tal qual você vejo em Marcos aquilo que considero um exemplo de profissional e creio eu, apesar de não conhecê-lo, pessoa. Prá mim Marcos e Zico são os maiores ídolos que tive em minha vida de apaixonado por futebol.

Quanto a você, torço prá que siga neste rumo, sendo coerente, correto, honesto e mostrando a nós aquilo que realmente ocorre no futebol, sem qualquer atitude clubística.

Grande abraço.

marcus buiatti disse...

belo texto.

abs

marcus buiatti

p.s.: muito bacana tbém o comentário do aristeu, abaixo.

Robson Pelé disse...

Poxa Bindi eu tinha certeza que você era sãopaulino mas você é PORCO. Vocês estão carentes eu entendo em dez anos só um Paulistão e um Maria Quiteria tem que comemorar até entrevista coletiva do presidente Beluzzo. Gostaris de perguntar sobre o significado do distintivo da Sampdoria de Genova - Itália. Você tem detalhes????